| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Aos Adventistas
Desde: 15/02/2003      Publicadas: 46      Atualização: 12/04/2012

Capa |  Adventismo  |  Doutrinas  |  Downloads  |  Ellen White  |  Refutação aos Comentários  |  Refutação por Versículos


 Adventismo
  15/11/2011
  3 comentário(s)


igreja Adventista é uma seita? Parte 2 " Ellen White 'A Grande'

Muitos cristãos não sabem da importância nevrálgica que Ellen White teve e tem sobre esse grupo religioso. Mas que mal teria? Absolutamente nenhum se seus ensinos não os afastassem do cristianismo ortodoxo. Absolutamente nenhum, se o que ela disse não fosse considerado por eles como palavras do Espírito Santo no mesmo nível dos profetas bíblicos. Absolutamente nenhum, se ela não tivesse uma cadeira mística, exclusiva e insubstituível na teologia adventista.
Uma obra oficial, autorizada, dos Adventistas afirma a respeito dela:
O dom de profecia manifestou-se ativamente no ministério de Ellen G. White, co-fundadora da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Foi-lhe concedida instrução inspirada da parte de Deus, em favor de Seu povo dos últimos dias. O mundo no início do século dezenove, quando Ellen White começou a apresentar mensagens de Deus, era um mundo do homem. Seu chamado profético colocou-a sob escrutínio crítico. Tendo satisfeito os testes bíblicos, ela prosseguiu em seu ministério profético durante 70 anos. Desde 1844, quando contava com apenas 17 anos de idade, até 1915 " ano de sua morte " ela recebeu mais de duas mil visões. Durante esse período, ela viveu e trabalhou na América do Norte, Europa e Austrália, aconselhando, estabelecendo novas frentes de trabalho, pregando e escrevendo. Ellen White jamais assumiu o título de profetisa, mas não se opunha a que os outros assim a identificassem. Ela explicou: "Cedo em minha juventude foi-me perguntado muitas vezes: É você uma profetisa? Sempre tenho respondido: Sou a mensageira do Senhor. Sei que muitos me têm chamado de profetisa, mas jamais reivindiquei esse título. ... Por que não reivindico ser chamada de profetisa? Porque nestes dias muitos que audaciosamente pretendem ser profetas, representam um opróbrio à causa de Cristo; e porque minha obra inclui muito mais do que o termo "profeta" significa. ... Reivindicar ser profetisa é algo que jamais fiz. Se outros me chamam por esse nome, não discuto com eles. Mas a minha obra abrange tantos aspectos, que não posso chamar-me a mim mesma senão uma mensageira (NISTO CREMOS, 1989, p. 301,302 [Os grifos são meus]).
Esse é o conceito oficial que os Adventistas devem ter a respeito de Ellen White. Essa aceitação acarreta problemas insuperáveis. Apologistas adventistas insistem que a crença deles é na suficiência das Escrituras. Mas o problema é que a interpretação de Ellen White é profética, inspirada. Isso, por mais que neguem, é semelhante ao que o Romanismo Católico assevera sobre a tradição e sobre o Papa de Roma.
A Crença Fundamental de número 18 (um conjunto de afirmações doutrinárias oficias) afirma categoricamente a fé no ministério profético de Ellen White dizendo:
"Um dos dons do Espírito Santo é a profecia. Esse dom é uma característica da igreja remanescente e foi manifestado no ministério de Ellen G. White. Como a mensageira do senhor, seus escritos são uma contínua e autorizada fonte de verdade e proporcionam conforto, orientação, instrução e correção à Igreja. Eles tornam claro que a Bíblia é a norma pela qual deve ser provado todo ensino e experiência." [grifo meu]
Temos claramente uma evidência de que a 'igreja' Adventista do Sétimo Dia é uma seita. Ela inclui em seu sistema oficial de doutrinas a crença em uma pessoa. Esse é categoricamente a definição tradicional de seita: grupo religioso seguidor de um líder humano. Observe bem que Ellen White não foi uma simples co-fundadora do Adventismo. Nem mesmo uma referência teológica de peso. Ela tem um chamado místico, ela é A encarnação de um ministério profético que apenas a igreja remanescente teria antes da volta de Cristo. Visto que ela não é aceita por nenhuma igreja cristã, logo nenhuma das igrejas cristãs seriam partes da igreja remanescente.
Mas a crença acima tem uma expressão estranha no que diz respeito à clareza da suficiência da Escritura. Diz a referida Crença que "os escritos de Ellen White tornam claro que a Bíblia é autoridade final de todo ensino". Mas isso sempre foi claro para os cristãos e especialmente proclamado ao mundo desde a Reforma! Ou na verdade tal crença está dizendo que Ellen White fez algo que até então não foi feito pelas igrejas cristãs?
Já fui contestado com a seguinte objeção: 'Mas toda religião tem uma referência humana! Luteranos, Calvinistas, Wesleyanos, etc'. Mas o fato não é simplesmente referencial. Em qualquer confissão cristã ortodoxa você jamais encontrará uma citação para se crer em algum individuo! E mais duas indagações podem ser apresentadas:
1) Se o ministério profético é uma característica da igreja remanescente, por que após o falecimento de Ellen White a igreja Adventista não aceitou nenhum outro 'profeta'?

2) Uma pessoa pode ser adventista do sétimo dia se negar essa crença em Ellen White? Ou da "igreja remanescente"?
Porém, muito do que é dito hoje sobre Ellen White é uma propaganda forjada da história. Os erros, enganos e absurdos de Ellen White são hoje omitidos na maioria dos casos. Por isso, nem mesmo a crença acima em mira, poderia vir a tona no escopo Adventista, visto que ela não provou ser uma escritora ortodoxa digna de aceitação.
Que acusações já foram lançadas contra Ellen White que causam desabono ao seu "ministério profético"? O principal é que Ellen White plagiou uma grande porção de seus escritos, embora tenha asseverado que eram revelações divinas. Essa acusação é antiga. Desde os primórdios do Adventismo, algumas pessoas têm ventilado esse assunto. O Adventismo tem feito um grande esforço para desbaratar essas informações. Porém as provas que Walter Rea trouxe no livro 'A Mentira Branca', são destruidoras. Por sua vez, os apologistas adventistas procuram comparar os escritos bíblicos aos de Ellen White para justificar os usos fraudulentos dela. E outros vão até mais longe, dizem que a Bíblia contém erros, com isso os escritos dela sofrem menos diante de plágios e erros.
Para as provas dessas acusações veja A Mentira Branca de Walter Rea e A Nuvem Branca de Dirck Anderson. (O que farei em postagens futuras é tratar das justificativas em defesa dela diante das acusações de W. Rea.)
Mas o exclusivismo Adventista pode ser camuflado em meio às definições corretas que eles herdaram do protestantismo, sem se perceber que Ellen White é tão importante. Na definição do que é "A Igreja" na Crença Fundamental 11, eles deliberam corretamente o que é a comunidade dos salvos. Estão bem de perto do que a Confissão de Fé de Westminster disse em sua perfeita definição de Igreja no capítulo 25.

Porém, eles não poderiam manter uma definição "tão aberta", sem prejuízo para seu exclusivismo. Veja o que a Crença Fundamental 12 diz, infelizmente:
"A Igreja universal se compõe de todos os que verdadeiramente crêem em Cristo; mas, nos últimos dias, um tempo de ampla apostasia, um remanescente tem sido chamado para fora, a fim de guardar os mandamentos [o sábado] de Deus e a fé de Jesus. Este remanescente anuncia a chegada da hora do Juízo, proclama a salvação por meio de Cristo e prediz a aproximação de Seu segundo advento. Essa proclamação é simbolizada pelos três anjos de Apocalipse 14; coincide com a obra de julgamento no Céu [isto é, desde 1844] e resulta numa obra de arrependimento e reforma na Terra. Todo crente é convidado a ter uma parte pessoal neste testemunho mundial." " Crenças Fundamentais, 12 (negrito meu)

Observamos que a definição de igreja, na ótica da Crença Fundamental 11 não pôde ser mantida. Quando diz "igreja remanescente" e esta por sua vez tem um ministério profético na pessoa de Ellen White, logo, a exclusividade está estabelecida. Já foi dita acima que "Esse dom é uma característica da igreja remanescente e foi manifestado no ministério de Ellen G. White." O que fazer com aqueles que, crêem em Jesus, obedecem aos mandamentos, mas criticam Ellen White e negam o julgamento em 1844? O Adventismo chama as igrejas protestantes de "filhas de babilônia", ou parte dela.
Não é sem motivo que eles reagem assim, visto que eles têm algo que os diferenciam das igrejas protestantes: Ellen White e 1844.
Postado por Luciano às 15:50






Capa |  Adventismo  |  Doutrinas  |  Downloads  |  Ellen White  |  Refutação aos Comentários  |  Refutação por Versículos
Busca em

  
46 Notícias