| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Aos Adventistas
Desde: 15/02/2003      Publicadas: 46      Atualização: 12/04/2012

Capa |  Adventismo  |  Doutrinas  |  Downloads  |  Ellen White  |  Refutação aos Comentários  |  Refutação por Versículos


 Refutação por Versículos

  25/02/2012
  0 comentário(s)


Mateus 5:17-18 Interpretado por Wiersbe

Mateus 5:17-18 Interpretado por WiersbeMateus 5:17-18
O cumprimento da lei e dos profetas

17 Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir.
18 Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido.

O CAMINHO PARA A JUSTiÇA VERDADEIRA (MT 5:17"20)

Depois de ouvir a descrição do tipo de caráter que Deus abençoa, sem dúvida alguns na multidão disseram: "É impossível cultivar um caráter como esse. Como ser justos assim? De onde vem essa justiça?" Para eles, era difícil entender de que maneira esses ensinamentos se relacionavam àquilo que haviam aprendido desde a infância. E quanto a Moisés e à lei? Na lei de Moisés, Deus certamente revelou seus padrões para uma vida de santidade. Os fariseus defendiam a lei e procuravam lhe obedecer. Mas Jesus afirmou que a verdadeira justiça agradável a Deus deve exceder aquela dos escribas e fariseus - e, para o povo em geral, os escribas e fariseus eram as pessoas mais santas da comunidade! Se eles não haviam conseguido encontrar essa justiça, que esperança haveria para o restante do povo? Jesus explica a própria atitude com respeitoà lei descrevendo três relacionamentos possíveis.

É possível procurar destruir a lei (v. 17a).
Para os fariseus, era justamente isso o que Jesus fazia. Em primeiro lugar, a autoridade de Jesus não era proveniente de nenhum líder ou escola rabínica conhecida. Em vez de ensinar os preceitos das autoridades no assunto, como os escribas e fariseus, Jesus ensinava com autoridade. Jesus parecia desafiar a lei não apenas com sua autoridade, mas também com suas ações. Curava pessoas no sábado e não fazia caso das tradições dos fariseus. Seus relacionamentos também pareciam opor-se à lei, pois era amigo de publicanos e de pecadores. No entanto, eram os fariseus que destruíam a lei! Por meio de suas tradições, privavam as pessoas da Palavra de Deus, e por meio de uma vida hipócrita, desobedeciam
às leis que afirmavam proteger. Os fariseus pensavam estar guardando a Palavra de
Deus, quando, na verdade, reprimiam a Palavra de Deus, sufocando-a com seus preceitos
humanos e acabando com sua vitalidade! O fato de terem rejeitado Cristo quando veio
à Terra comprovou que a verdade interior da lei não havia penetrado o coração desses
homens. Jesus deixou claro que veio para honrar a lei e ajudar o povo de Deus a amá-Ia, aprender dela e colocá-Ia em prática. Recusou a justiça artificial dos líderes religiosos, que não passava de uma farsa. Para eles, a religião era um ritual morto, não um relacionamento vivo. Uma vez que era falsa, não se reproduzia em outros de maneira viva e eficaz. Promovia apenas o orgulho, não a humildade; conduzia à escravidão, não à liberdade.

Podemos procurar cumprir a lei (v.17b).
Jesus Cristo cumpriu a lei de Deus em todos os aspectos de sua vida. Cumpriu-a em seu nascimento, pois foi "nascido sob a lei" (GI 4:4). Seus pais realizaram todos os rituais prescritos para um menino judeu. Por certo, também cumpriu a lei em sua vida, pois ninguém nunca foi capaz de acusá-lo de qualquer pecado. Jesus obedeceu a todos os mandamentos de Deus na lei sem, no entanto, se sujeitar às tradições dos escribas e fariseus. O Pai expressou sua aprovação declarando: "Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo" (Mt 3:17; 17:5). Jesus também cumpriu a lei em seus ensinamentos, e foi isso o que o levou a entrar em conflito com os líderes religiosos. Quando começou seu ministério, encontrou a Palavra viva de Deus recoberta de tradições e de interpretações humanas. Jesus rompeu essa "casca de religiosidade" e guiou o povo de volta à Palavra de Deus. Em seguida, revelou-a como nova forma de viver para uma gente acostumada com a "letra" da lei, não com a "essência" da vida. Foi, porém, em sua morte e ressurreição que Jesus cumpriu a lei de maneira especial, pois levou sobre si a maldição da lei (GI 3:13). Ele cumpriu os tipos e as cerimônias do Antigo Testamento para que não fossem mais necessários ao povo de Deus (ver Hb 9 - 10). Colocou de lado a antiga aliança e firmou uma nova aliança. A fim de destruir a lei, Jesus não lutou contra ela; ele a cumpriu! Talvez possamos esclarecer esse fato com uma ilustração. Há duas maneiras de destruir uma semente: esmagando-a em pedaços ou plantando-a para que cumpra seu propósito e se transforme numa árvore. Quando Jesus morreu, rasgou o véu do templo e abriu o caminho para a santidade (Hb 10:19). Derrubou o muro de separação entre judeus e gentios (Ef 2:11-13). Uma vez que a lei foi cumprida em Jesus, não precisamos mais de templos construídos por mãos humanas (At 7:48ss) nem de rituais religiosos (CI 2:10-13). Como é possível cumprir a lei? Entregando-nos ao Espírito Santo e deixando que opere em nossa vida (Rm 8:1-3). O Espírito Santo permite que experimentemos "a justiça da lei" em nossa vida diária. Isso não significa que temos uma vida perfeita e sem pecado, mas sim que Cristo vive em nós pelo poder do Espírito Santo (G.2:20). Quem lê as bem-aventuranças, vê ali retratado o caráter perfeito de Jesus Cristo. Apesar de nunca ter se entristecido com seu pecado, pois jamais pecou, ainda assim foi um "homem de dores e que sabe o que é padecer" (Is 53:3). Nunca precisou sentir fome nem sede de justiça, pois era o santo Filho de Deus, mas se agradou da vontade do Pai e encontrou saciedade nessa obediência (4:34). A única forma de experimentar a justiça das bem-aventuranças é por meio do poder de Cristo.

Podemos procurar cumprir e ensinar a lei (v. 19).
Isso não significa voltar toda a atenção para o Antigo Testamento e esquecer o Novo! 2 Coríntios 3 deixa bem claro que nosso ministério refere-se à nova aliança. Existe, porém, um ministério da lei (1 Tm 1:9ss) que não é contrário à mensagem gloriosa da graça de Deus. Jesus deseja que cresçamos em conhecimento acerca da justiça de Deus, a fim de que sejamos capazes de lhe obedecer e de compartilhá-Ia com outros. A lei moral de Deus não mudou. Nove dos dez mandamentos são repetidos nas epístolas do Novo Testamento, e os cristãos são chamados a obedecer a eles. (A única exceção é o mandamento sobre o sábado, dado como um sinal para Israel. Ver Ne 9:14.) Não obedecemos a uma lei exterior por medo. Antes, como cristãos nos dias de hoje, obedecemos a uma lei interior e vivemos por causa do amor. O Espírito Santo nos ensina a Palavra e nos capacita a obedecer a ela. Pecado continua sendo pecado, e Deus continua a castigá-lo. Na realidade, os cristãos de hoje têm ainda mais responsabilidade, pois temos mais conhecimento!



  Mais notícias da seção Refutações NT no caderno Refutação por Versículos
12/04/2012 - Refutações NT - Leonardo Gonçalves é a Doutrina Adventista em seu novo cd "Princípio e fim" na música NOVO.
Sou um apreciador da boa música. É Leonardo Gonçalves com certeza se encaixa nessa boa música. Nesses dias Leonardo Gonçalves lançou seu novo cd com o titulo: "princípio e fim". Segundo o cantor o cd iria falar sobre a volta de Cristo, pois como o mesmo Leonardo Falou: que mergulha em boas fontes teologicas. Para quem não sabe Leonardo Gonçalves fa...
25/02/2012 - Refutações NT - Mateus 5:17-18 - JESUS VEIO CUMPRIR A LEI EM NOSSO LUGAR
Ao dizer que não veio revogar a lei ou os profetas e sim cumpri-la, Jesus usou um termo que foi escrito em grego como PLEROSSAI, que significa " completar", "trazer ao pleno enchimento"....



Capa |  Adventismo  |  Doutrinas  |  Downloads  |  Ellen White  |  Refutação aos Comentários  |  Refutação por Versículos
Busca em

  
46 Notícias